Período de férias: mais cuidados na segurança dos condomínios

Os meses de férias são aguardados ansiosamente. É o período em que as pessoas se deslocam para outras cidades para reencontrar parentes, amigos ou mesmo em busca de diversão. Mas deixar a residência requer cuidados redobrados, para evitar surpresas desagradáveis no retorno. Nessa época, alguns condomínios viram alvo de invasores e, por isso, atitudes simples podem afastar esse tipo de problema. Além das precauções básicas, certifique-se que todas as portas e janelas estão travadas. Se possível, reforce as entradas para a casa com trancas e cadeados internos, evitando que fiquem do lado externo do portão. Além disso, fechar os registros de água e gás é também uma medida importante.

Antes de sair, os dispositivos de segurança também devem ser verificados e evite deixar valores guardados dentro da residência, mesmo em cofres. Os cuidados com a segurança interna também são importantes a fim de evitar incêndios, infiltrações e preocupações com a manutenção. Ter cautela com tomadas é imprescindível e, durante a ausência, todos os eletrodomésticos devem ser desligados.

Embora as ocorrências policiais tenham diminuído, os assaltos continuam ocorrendo. Por isso, todo cuidado é pouco, ainda mais nesta época em que muitos imóveis ficam sozinhos. Cabe à Polícia Militar a importante função de atuar preventivamente. Mas não se pode sonhar com um carro da PM postado na porta do condomínio 24 horas por dia. Daí a importância de todos os moradores e funcionários se conscientizarem de seus respectivos papéis na manutenção da segurança.

Há muitos anos, o Secovi-SP vem divulgando e orientando moradores, síndicos e administradores a respeito da necessidade de se reforçar a segurança no período de férias. Dentre outras medidas, é recomendável deixar as chaves e o telefone de contato com algum parente ou amigo próximo, de preferência alguém que não more no mesmo local; e avisar um vizinho de confiança sobre a ausência, pois ele poderá ficar atento a qualquer movimentação estranha.

Lembre-se: não é seguro fornecer muitos detalhes sobre a data de retorno aos funcionários do condomínio. Cancelar a entrega de jornais e revistas no período de ausência também é uma ótima medida de segurança, já que o acúmulo deste tipo de correspondência pode delatar uma residência vazia.

Para aqueles que ficarem em casa no final de ano, a garagem necessita de atenção extra, por ser um dos pontos mais vulneráveis do condomínio. Pesquisas revelam que, nos últimos anos, 80% das invasões a condomínios ocorreram pela garagem. Por isso, ao chegar com o carro, o condômino não pode se furtar a acender a luz interna do veículo ou abaixar os vidros. Desta maneira, os funcionários da portaria podem ter certeza de que o motorista é o morador do prédio, e não algum invasor que tomou posse do controle remoto da garagem.

A segurança preventiva dos condomínios está diretamente ligada à mudança de hábitos. Descumprir as normas estabelecidas é colocar em risco o condomínio e, portanto, a segurança dos que nele habitam. O síndico deve levar o assunto à assembleia para que todos busquem medidas que possam contribuir para o bem-estar e a proteção de todos. Por fim, é fundamental sempre se manter em permanente estado de alerta.

Os condomínios ainda são a melhor e mais segura opção para se morar. Porém, as chances de tudo dar certo são muito maiores quando todos os envolvidos unem suas forças e agem com rigor e harmonia.

Fonte: Flavio Amary, Cruzeiro do Sul
Compartilhar

Por: ABRASP

0 comentários:

Postar um comentário

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Síndicos Profissionais