Adasa estabelece medidas para uso racional da água no DF

Adasa estabelece medidas para uso racional da água no DF
Adasa estabelece medidas para uso racional da água no DF
Adasa estabelece medidas para uso racional da água no DF
Adasa estabelece medidas para uso racional da água no DF
Adasa estabelece medidas para uso racional da água no DF
Adasa estabelece medidas para uso racional da água no DF
Adasa estabelece medidas para uso racional da água no DF
Adasa estabelece medidas para uso racional da água no DF
Adasa estabelece medidas para uso racional da água no DF
Adasa estabelece medidas para uso racional da água no DF
Adasa estabelece medidas para uso racional da água no DF
Adasa estabelece medidas para uso racional da água no DF
Adasa estabelece medidas para uso racional da água no DF
Adasa estabelece medidas para uso racional da água no DF
Resoluções publicadas nesta segunda (31) orientam redução de volumes usados em lava-jatos e restringem horário de captação de recursos hídricos por caminhões-pipa

Para ajudar a contornar os riscos ao abastecimento em Brasília, a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa)definiu medidas para uso racional de recursos hídricos.

Por meio de resoluções publicadas no Diário Oficial do Distrito Federal desta segunda-feira (31), a empresa pública restringe o horário para captação por meio de caminhões-pipa, reduz a vazão de água subterrânea extraída e orienta estabelecimentos como lava-jatos a usarem menos recursos hídricos.

A ideia, de acordo com a Adasa, que fiscaliza o cumprimento das medidas, é priorizar o uso da água até que os reservatórios do DF estejam menos comprometidos. O volume acumulado na barragem do Rio Descoberto, responsável pelo abastecimento de 65% do Distrito Federal, atingiu 22,42% nesta segunda-feira (31).
"Vamos priorizar o uso da água até que nossos aquíferos estejam menos comprometidos e que tenhamos segurança hídrica"Rafael Mello, superintendente de Recursos Hídricos da Adasa

No caso dos poços de captação subterrânea, a autorização concedida pela Adasa aos usuários será reduzida pela metade, exceto para casos de consumo humano de uso coletivo e o industrial. A medida atinge diretamente postos de combustíveis e lava-jatos, que comumente usam esse modelo.

O superintendente de Recursos Hídricos da Adasa, Rafael Mello, elenca as recomendações. “Orientamos os estabelecimentos a usarem sistemas mais eficientes, como bombas de alta pressão e de baixa vazão, além de não usar água para lavar para-brisas, nem irrigar os jardins que compõem o paisagismo dos postos”.

Esses estabelecimentos são também orientados a fazer reúso da água, sempre que possível.
Horário reduzido para captação por caminhões-pipa

Antes disponíveis durante todo o dia, os pontos de captação do DF estarão liberados para os caminhões-pipa apenas das 6 às 14 horas. De acordo com a estatal, há cerca de 400 máquinas do tipo na região, cada uma com capacidade para absorção de 10 metros cúbicos de água.

Um caminhão-pipa leva cerca de 30 minutos para ser abastecido. “Prevemos redução de 50% no uso dos recursos com o controle do horário”, diz Mello. A resolução também define que apenas um veículo poderá usar o ponto por vez. As concessões de novas outorgas ficam suspensas por enquanto.
De R$ 100 a R$ 100 milhõesVariação no valor das multas por descumprimento das resoluções, conforme a gravidade da infração

Os textos oficializam medidas que já tinham sido acordadas entre a Adasa e os sindicatos e associações dos setores responsáveis. “Construímos as resoluções de forma que todos continuem trabalhando, mas que colaborem neste momento de crise”, explica o superintendente, em relação às conversas com a categoria, mantidas desde setembro.

Nos casos de descumprimento das resoluções, as penalidades podem ser a interrupção dos sistemas, o embargo do estabelecimento, ou multas proporcionais à gravidade da infração, que variam de R$ 100 a R$ 100 milhões, de acordo com a Resolução Nº 163, de maio de 2006.

Cobrança de tarifa de contingência sobre a conta de água


Em 24 de outubro, o governo anunciou a cobrança de 20% de tarifa de contingência, com aumento real de 10% em média na conta de água do consumidor. Os primeiros boletos com a taxa extra serão os de vencimento em dezembro, referentes à leitura do mês anterior.

via Blogger http://ift.tt/2e6vFuD
October 31, 2016 at 06:48PM
via Blogger http://ift.tt/2dW5kV2
October 31, 2016 at 06:48PM
via Blogger http://ift.tt/2esDhss
October 31, 2016 at 06:49PM
via Blogger http://ift.tt/2e6whjO
October 31, 2016 at 06:53PM
via Blogger http://ift.tt/2fxUwwF
October 31, 2016 at 06:53PM
via Blogger http://ift.tt/2e6qpaz
October 31, 2016 at 06:55PM
via Blogger http://ift.tt/2dW4UOm
October 31, 2016 at 06:55PM
via Blogger http://ift.tt/2egnWgS
October 31, 2016 at 07:28PM
via Blogger http://ift.tt/2f77EGB
October 31, 2016 at 09:28PM
via Blogger http://ift.tt/2etReGE
November 01, 2016 at 12:28AM
via Blogger http://ift.tt/2fpo5kM
November 01, 2016 at 02:28AM
via Blogger http://ift.tt/2euxin8
November 01, 2016 at 04:28AM
via Blogger http://ift.tt/2f8ubm9
November 01, 2016 at 06:28AM
via Blogger http://ift.tt/2eiGjSE
November 01, 2016 at 08:28AM
Compartilhar

Por: Brasília Office

0 comentários:

Postar um comentário

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Síndicos Profissionais