Investir em qualificação profissional garante benefícios para os condomínios

Investir na manutenção do prédio, num sistema de segurança potente e administrar as contas de forma eficaz, são ações cobradas pelos condôminos e que o síndico deve ter foco em cumprir, mas existe outro ponto chave para que o edifício esteja bem cuidado, a qualificação dos profissionais

Até porque os condomínios se modernizam diariamente, são mudanças de tecnologia, de atribuições e de legislação, o que exige dos colaboradores maior conhecimento profissional.

O zelador é o empregado que precisa saber lidar com tudo o que ocorre no prédio. É ele que deve fiscalizar o cumprimento dos regulamentos entre os moradores e o trabalho dos funcionários, coordenar a limpeza, entregar correspondências e informar o síndico sobre o que ocorre no condomínio. Também inspeciona os aparelhos como bombas, elevadores, encanamentos, instalações elétricas e, inclusive, testa o sistema de segurança periodicamente e adverte o síndico para eventuais problemas nesses equipamentos para que seja chamado um especialista ou dada outra solução. “Atualmente os síndicos não tem mais tempo para administrar tantas funções, ele precisa de um braço direito para ajudar a gerenciar”, analisa o gestor em cursos profissionalizantes para funcionários de condomínios, Elio Beuter.

Para o gestor, entre os atributos que o zelador deve ter estão a fidelidade, competência, iniciativa e ser prestativo. Mas, ele também tem que ter informação profissional sobre os aspectos técnicos administrativos do prédio, não pode exercer a função com base em dicas de vizinhos e amigos. Por isso, Beuter defende que os zeladores precisam ser capacitados, e a tendência é que o diploma de profissionalização seja uma exigência de mercado. Além de informações técnicas, o curso ensina questões éticas. “O zelador fica sabendo de muitas coisas que acontecem no prédio, inclusive de assuntos pessoais dos moradores. São informações que não podem ser comentadas por ele”, afirma.

Já o porteiro é um funcionário que, além de recepcionar os condôminos e visitantes, é encarregado de não deixar pessoas sem autorização entrar no edifício. Ele também pode ter outras atribuições, como ajudar o zelador a verificar se alguma norma do prédio é desrespeitada pelos condôminos, mas a sua função primordial é cuidar da segurança. “O porteiro tem que ser uma pessoa com atenção, tem que ser observador para saber fazer a triagem das pessoas. Ele só pode abrir a porta depois de confirmar que não existe risco do visitante ser um assaltante ou alguém indesejado. Ao mesmo tempo em que tem de ser firma com os estranhos, precisa ser cordial com os moradores”, salienta. Devido à responsabilidade do cargo e das exigências, o gestor aponta que é indispensável a especialização adequada desses profissionais. De acordo com Beuter, além de o condomínio ser beneficiado ao ter profissionais qualificados, a capacitação melhora o currículo do trabalhador. “Geralmente os próprios condomínios que pagam o estudo, já que muitos profissionais não têm como desembolsar”, destaca.

Os garagistas e profissionais de serviços gerais também precisam de treinamento, tanto em suas tarefas quanto como deve atender os moradores. Essa tarefa geralmente é de responsabilidade do zelador, com a orientação do síndico e da administradora.
Compartilhar

Por: Paulo Melo

0 comentários:

Postar um comentário

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Síndicos Profissionais