Economia de água: cartilha ensina, residenciais aplicam e valores de condomínios

O síndico de um conjunto de prédios no Parque da Represa, em Jundiaí, Alan Romera, investiu junto com os moradores das 96 unidades de apartamentos, cerca de R$ 1500,00 por bloco (são 5) e R$ 75,00 por apartamento na troca e válvulas de caixas acopladas e na detecção de vazamentos há pouco tempo

O objetivo é reduzir vazamentos e desperdício de água no conjunto de apartamentos. A expectativa dele e dos moradores, claro, é que esse dinheiro retorne em forma de economia de água e, por consequência, um condomínio mais barato em breve. “Queremos reduzir cerca de 20% do valor só com essa economia”, acredita o síndico. Além dessa redução de valores esperadas pelas 96 famílias, o mais importante é o desperdício com taxa zero. Assim como Romera, outros síndicos e condomínios estão, desde 2014, pensando nesses investimentos, que por ora parece mais caro, mas a longo prazo, rende economia. ⁠⁠⁠

A cartilha “Construção Consciente – Economia de Água” lançada pela Proempi (Associação das Empresas e Profissionais do Setor Imobiliário de Jundiaí e Região) em novembro de 2014, no auge da forte estiagem pela qual passou o estado de São Paulo, se transformou nessa importante ferramenta de alerta.

O material foi elaborado em parceria com as empresas Astra, Deca e Techem, que detêm as tecnologias para redução no consumo de água dentro das residências e condomínios. De acordo com Fernando Angelucci Fernandes, coordenador do Conselho de Síndicos da Proempi, a cartilha incentivou a mudança. “O alerta feito pela cartilha motivou a mudança de postura nas pessoas diante da situação pela qual o Estado de São Paulo passava naquele momento”, explicou, lembrando sobre o período de estiagem.

50 mil exemplares da cartilha foram distribuídos em todos os condomínios de Jundiaí. Além de informações sobre novas tecnologias, a cartilha traz orientações para que os próprios moradores possam fazer sem a intervenção de profissionais: como detecção de vazamentos ou desperdício de água. “De forma simples, uma tabela ilustrada – com cálculos para uma família de 4 pessoas – reúne soluções com dados referentes a economia de água no mês, custos e tempo de retorno do investimento das novas tecnologias também fazem parte das orientações”, explicou Fernandes.

Para o presidente da Proempi, Marcio Vioti, as soluções em tecnologia para economizar água é o resultado de anos de pesquisa e dedicação por parte de fabricantes que atendem a construção civil nos segmentos de metais, plásticos e louças. “A Proempi, como entidade que envolve o setor da construção civil não poderia deixar de ser instrumento para divulgar essas soluções”, destacou. “A cartilha, que após dois anos de lançamento, ainda é atual, traz, de maneira didática, alternativas fáceis de serem implantadas com vantagens para o bolso da família e para o meio ambiente”, completou.
Exemplos práticos

A cartilha oferece a possibilidade de trocar a tecnologia, por exemplo, do acionamento da bacia sanitária de 12 litros por bacias acopladas, com acionamento de 3 e 6 litros. Imóveis que já possuem a caixa acoplada, é possível ainda instalar o conversor de duplo acionamento. “A descarga é responsável por 14% do consumo de água em uma residência, sendo que 80% das vezes é para escoar líquidos”, explicou Vioti.

Torneiras e lavatórios também podem economizar água. “Para as torneiras e lavatórios, a solução que encontramos é a instalação do Arejador, que mistura água e ar dando a sensação de volume de água”, destacou o presidente da Proempi. “Para estes casos ainda existem outras soluções como o dispersor e o restritor”, explicou o presidente da Proempi.

Fonte: tudo.com.vc

Compartilhar

Por: Paulo Melo

0 comentários:

Postar um comentário

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Síndicos Profissionais