Projeto leva adestramento de cães a condomínios em Pernambuco

Durante as palestras, que são gratuitas, o adestrador dá dicas sobre comportamento canino, para evitar brigas entre moradores


Zando é um cãozinho da raça shih tzu de apenas 5 meses. Apesar do temperamento tranquilo, o filhote tem dificuldade em aprender o local certo de fazer as necessidades e late quando alguma pessoa passa pela porta do apartamento onde mora, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife. A administradora Larissa Atrock, 29 anos, dona do animal, nunca teve problemas com os vizinhos, mas o comportamento de cães é alvo constante de conflitos em condomínios residenciais. Pensando nisso, o cinotécnico Nahum Anselmo dos Santos, presidente da Associação Pernambucana de Adestradores de Cães, criou o projeto Cãodomínio, que, há um ano, visita prédios voluntariamente, levando informações e dicas de adestramento a proprietários de cachorros.

“A ideia surgiu a partir das inúmeras vezes em que testemunhei brigas de condomínio. Certa vez, moradores queriam exigir a retirada de um cão adestrado por mim, somente porque era de grande porte”, conta o cinotécnico. Proibir a presença de animais em prédios é inconstitucional. No entanto, a decisão pode ser tomada legalmente em casos de animais que ofereçam perigo ou desassossego aos demais moradores.

Entre os comportamentos que podem provocar atritos com vizinhos estão agressividade e barulho. “Todos os cães latem. É a maneira deles se expressarem. Mas, quando os latidos são ininterruptos, é preciso analisar as causas e atuar diretamente nelas. É importante lembrar que qualquer cachorro, de qualquer raça ou idade, pode ser adestrado, para perder os vícios de comportamento”, destaca o profissional.

A cachorrinha Tifany, de 10 anos, também da raça shih tzu, é exemplo de que o trabalho funciona. Há cinco anos ela foi treinada por Nahun e nunca esqueceu os comandos. “Ela tem um temperamento muito dominante e, por isso, não me obedecia. Mordia e latia para outros cachorros. Depois do treinamento, Tifany está ótima. Hoje sei lidar com ela e me sinto no controle da situação”, comemora a fotógrafa Sabrina Nóbrega, 37.

Moradoras do mesmo prédio na Zona Sul, Sabrina e Larissa participaram, na última quarta-feira (6), de uma das palestras do Cãodomínio. Foi através de indicações de moradores que o síndico do prédio, João Carlos Correia, conheceu o projeto. “As referências sobre o trabalho dele foram muito boas. Temos cerca de 18 cachorros morando aqui, então pensei que poderia ajudar. Os donos que compareceram ao treinamento gostaram muito das dicas.”


ENSINAMENTOS

Cerca de 10 prédios já foram beneficiados pelo projeto. Durante as ações, são repassados ensinamentos para os animais e donos. “O adestramento também inclui a família. O comportamento do cachorro tem que ser condicionado e, por isso, o dono precisa saber como dar estímulos negativos e positivos, de acordo com o que espera que o cão faça”, justifica Nahun, especialista em psicologia canina.

O profissional dá dicas para quem quer ter um cão em casa. “É importante conhecer o temperamento do animal e se ele se adequa ao espaço disponível. Os problemas que causam brigas entre vizinhos estão, na maioria das vezes, associados ao desprezo do dono e a escolha de uma raça inadequada para apartamento.”

Interessados em levar o projeto para os seus condomínios podem entrar em contato com o adestrador através do telefone (81) 98748-1388.
Compartilhar

Por: Paulo Melo

0 comentários:

Postar um comentário

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Síndicos Profissionais