Habilidades do gestor de condomínios

São muitos os pontos de atenção para quem gere um condomínio, seja ele Gerente do Empreendimento ou o Síndico


Controle das Contas do Condomínio:


Em geral, um condomínio tem alguns grupos de saldo que devem ser controlados para que a saúde financeira esteja sempre em dia. São três os mais comuns, conforme abaixo:
Conta Movimento ou Condomínio

Normalmente está ligada às despesas ordinárias, como: Empregados próprios ou Terceirizados; Manutenções (bombas, elevadores, piscina, entre outras coisas). Concessionárias também, como exemplo: (Água, Energia, Gás); Serviços em geral que cuidem de itens relacionados ao dia a dia do condomínio.

É nesse grupo de saldo que se controlam as contas que fazem o condomínio funcionar no dia a dia, e seu desequilíbrio representa um dos maiores riscos para o condomínio. Em caso de desequilíbrio dessa conta, é necessário um ajuste imediato, seja, através de aumento de receita corrente (aumento na cota condominial), assim como também cota extra específica (quando o desequilíbrio foi causado por motivo já sanado e portanto somente é necessário repor), ou redução de despesas.

Em outra oportunidade falaremos especificamente sobre redução de despesas.
Conta Fundo de Reserva

Até a entrada em vigor do código civil atual, em 11 de janeiro de 2013, essa conta era obrigatória para todos os condomínios, depois disso passou a ser facultativa. Em geral são praticados dois valores, 5 ou 10% do valor da cota do condomínio. Essa conta serve para fazer face as despesas extraordinárias não previstas no orçamento (podem ser emergenciais dependendo da situação).

É um erro comum, por falta de conhecimento ou dinheiro, que esse valor seja usado para completar o orçamente ordinário do condomínio. O correto seria repor o valor a cada utilização através de cota extra.
Conta Obras – (pegamos essa como exemplo, por ser comum, mas poderia ser outra nomenclatura e finalidade):

Esse tipo de conta tem destinação específica. Normalmente acontece quando o condomínio decide, por exemplo, nesse caso, fazer uma obra extraordinária e precisa arrecadar fundos para isso. Para que essa arrecadação seja demonstrada claramente no balancete, é criada uma conta a parte.

Cabe lembrar que todas essas contas são contábeis, e a conta corrente é uma só. Administradoras de Condomínios trabalham dessa forma em geral, mas tem outras modalidades também. A transparência é fundamental na Gestão, e traz tranquilidade ao Gestor Condominial e aos Condôminos.

Compartilhar

Por: Paulo Melo

0 comentários:

Postar um comentário

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Síndicos Profissionais