Artigo: O futuro da energia elétrica no Brasil

Em dezembro de 2015 o Brasil e mais 193 países assinaram, na plenária da COP 21 em Paris, um acordo global para cortes de emissões de gases para frear o efeito estufa e lidar com os impactos da mudança climática

Eng. Cláudio Marcelo Monteiro de Souza

Mas o que você tem a ver com isso?

Tudo, o Brasil se comprometeu a reduzir as emissões de gases na atmosfera em 37% até 2025, com indicativo de cortar 43% até 2030. Para isso o País tem que criar leis que garantir o cumprimento dos objetivos.

“O Novo Prosumidor – um debate sobre geração distribuída, energias renováveis, eficiência energética e portabilidade da conta de luz no contexto da economia de baixo carbono”. O evento realizado pela Frente Parlamentar Mista em Defesa das Energias Renováveis, Eficiência Energética e Portabilidade da Conta de Luz em parceria com o EcoCâmara (Comitê de Gestão Socioambiental da Câmara dos Deputados) e com a Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), debateu vários assuntos, entre eles o PL 1.917/2015 que tramita na Câmara dos Deputados e o PLS 232/2016 que tramita no Senado.

Os dois Projetos de Lei prevêem a expansão do Mercado Livre de energia brasileiro por meio da adoção da portabilidade, ou seja, qualquer consumidor vai poder escolher o seu fornecedor de energia independente da carga contratada. Esse modelo promove um aumento da concorrência podendo trazer redução e qualidade de fornecimento para o usuário.

Acesse www.queroenergialivre.com.br/#simulador e simule a economia que você poderia conseguir migrando para esse sistema.

*Eng. Cláudio Marcelo Monteiro de Souza é especialista em Sustentabilidade e membro da ABRASSP.
Compartilhar

Por: Movimento dos Comunicadores do Brasil

0 comentários:

Postar um comentário

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Síndicos Profissionais