Entrevista com o síndico Paulo Henrique Matuszewski

Na nona edição da série de entrevistas intitulada de BATE-PAPO COM SINDICO, conversamos com o síndico do condomínio Residencial Gamaggiore, que fica na cidade do Gama no Distrito Federal, Paulo Henrique Matuszewski, atuando como programador de computador e síndico do condomínio onde mora, veja abaixo as respostas desse competente síndico ao nosso portal

1-) Porque decidiu ser Síndico?
Estou no meu segundo mandato. Antes de assumir, nosso condomínio tinha sérios problemas de ordem financeira e falta de investimentos e, preocupado com meu patrimônio e com idéias que entendia serem cabíveis e viáveis, me lancei como candidato.

2-) Como conciliar suas atividades, mais a de Síndico?
Não é algo fácil, até porque em um condomínio do tamanho do nosso, a dedicação é fundamental. Hoje dedico o dia ao condomínio e a noite e parte dos finais de semana as minhas outras atividades.

3-) Como é ser Síndico?
É um desafio diário, pois ser sindico não é apenas pagar contas, contratar empresas e mediar conflitos entre moradores. Ser sindico é administrar uma cidade dentro da cidade, com orçamento próprio e limitado e requer gestão de excelência para que os recursos arrecadados rendam e permitam inclusive investimentos e melhorias sem a cobrança de taxas extras, através de vantagens obtidas com renegociação de contratos e outras ações que permitiram em dois anos e 2 meses de mandato ter saldo em conta corrente superior a R$ 200.000,00, ter melhorado todas as áreas comuns do condomínio sem qualquer taxa extra, implantado estação de tratamento de água de reuso para economia das contas de água (e sem taxa extra), troca de toda sistema de iluminação das áreas comuns por LED (o que gerou economia nas contas de luz e com esta economia pagamos todo investimento), implantação do sistema de coleta seletiva, entre dezenas de outras ações que fazem hoje o Gamaggiore me proporcionar aprovação de mais de 90% dos condôminos.


4-) Quando assumiu quais os problemas encontrados?
Saldo bancário negativo (devidamente recuperado), salões de festas tendo falta de cadeiras inclusive (todos os salões revitalizados e cadeiras compradas - sem taxa extra), contas de consumo maiores do que aquilo que se arrecadava na previsão orçamentária para as mesmas (hoje temos inclusive estação de tratamento de água de reuso, o que derrubou as contas de consumo), segurança com sistema de controle de acesso e CFTV deficitário (ampliamos o sistema e criamos um rígido controle de acesso de pedestres e veículos absolutamente informatizado).

5-) O que representava o maior problema?
Recuperar o saldo bancário e as áreas comuns sem que isso representasse aumento de taxa condominial ou repasse de taxa extra.

6-) Deixe uma mensagem de otimismo para os seus colegas Síndicos?
Ser sindico é superar os próprios limites e provar que a gestão condominial vai muito além de um simples cargo administrativo. Lute pelo condomínio como se ele fosse todo seu e prove para si mesmo que é possível ser melhor a cada dia, ganhando assim a admiração dos demais moradores.

Portal Cidades e Condomínios por Jornalista Paulo Melo 61 99807-2015

Compartilhar

Por: Paulo Melo

3 comentários:

  1. Infelizmente estamos com nosso condomínio acabado, sem revitalização. Nosso jardim seco sem vida, parque (sem brinquedos para as crianças), espaço zen( entregue com mobiliário pela comstrutora e retirado e não reposto) tudo destruído. Infelizmente a beleza do espaço que nos encheu os olhos ao comprar se acabou.

    ResponderExcluir
  2. Como pode mentir tanto, estação de tratamento de água foi construída com dinheiro de uma Van que a construtora ao invés de dar o veículo, deu o valor em espécie. Estação de tratamento que foi amplamente divulgada que foi construída em convênio com o IFG, hoje em dia foi descoberto que o convênio foi uma grande mentira inventada pelo síndico e atualmente virou caso de inquéritos na Polícia federal, um que a AGU solicitou que o IFG fizesse a denúncia e outro por solicitação do MPF por suposta falsificação da rubrica do Diretor-Geral do campus Luziânia-IFG. É muita mentira para uma só pessoa

    ResponderExcluir
  3. Como pode mentir tanto, estação de tratamento de água foi construída com dinheiro de uma Van que a construtora ao invés de dar o veículo, deu o valor em espécie. Estação de tratamento que foi amplamente divulgada que foi construída em convênio com o IFG, hoje em dia foi descoberto que o convênio foi uma grande mentira inventada pelo síndico e atualmente virou caso de inquéritos na Polícia federal, um que a AGU solicitou que o IFG fizesse a denúncia e outro por solicitação do MPF por suposta falsificação da rubrica do Diretor-Geral do campus Luziânia-IFG. É muita mentira para uma só pessoa

    ResponderExcluir

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Síndicos Profissionais