Diminuir a produção de resíduos é meta para os adeptos do Lixo Zero

53% dos resíduos do Brasil são descartados de maneira inadequada; movimento busca diminuir e destinar lixo corretamente

No mundo, são produzidas mais de 2 bilhões de toneladas de resíduos. Um estudo da Organização das Nações Unidas (ONU) mostra que 99% dos produtos que compramos são jogados fora dentro de seis meses. 53% dos resíduos são descartados de maneira inadequada no Brasil e o índice de reciclagem nacional é de 3,7%. Esses são apenas alguns dados que levantam a reflexão sobre a produção de lixo e o que estamos fazendo para melhorar essa realidade. Pela necessidade de mudar esse cenário, surgiu o movimento Lixo Zero, que busca diminuir ao máximo a produção de resíduos e dar encaminhamento certo para a reciclagem do lixo.

Apesar de ser uma responsabilidade que abarca todas as partes da sociedade, passando pela indústria, comércio e governo, cada consumidor é parte importante para diminuir a produção de lixo. Por isso, reduzir a produção de resíduos tem virado um padrão de comportamento cada vez mais comum. O movimento só cresce, tanto entre empresas que estão buscando as consultorias para se tornarem lixo zero, quanto entre pessoas que já deixaram de utilizar produtos descartáveis, levando copos ou talheres reutilizáveis consigo no dia a dia.

O objetivo inicial da Inspira Verde foi ajudar as pessoas no caminho para uma vida com menos lixo

Em Brasília, a empresa Inspira Verde nasceu em 2017 para ajudar os brasilienses a produzir menos lixo. Para Gabriella Guimarães, idealizadora da loja que oferece cursos, consultoria e produtos sustentáveis, o movimento Lixo Zero tem crescido por causa da conscientização em relação ao fim do lixo que produzimos. “Nos últimos anos, isso está muito presente na mídia, então é uma informação que está sendo socializada com muito mais pessoas. Estudos ambientais sobre os impactos não só de resíduos sólidos, mas vários outros tipos de impactos relacionados ao uso da água, a construção civil, nossa forma de fazer obras, reformas, tudo isso está muito mais acessível”, conta.

Repensando velhos hábitos 

O movimento Lixo Zero possui 5 R’s que permeiam o estilo de vida: refuse, reduce, reuse, recycle e rot (recuse, reduza, reutilize, recicle e faça compostagem). É necessário repensar velhos hábitos de consumo, reutilizar os recursos que você já possui, reduzir o consumo, reciclar os resíduos que ainda são produzidos e fazer compostagem.

É ideal evitar todo tipo de produto descartável, já que esses produtos são utilizados apenas uma vez e, muitas vezes, são feitos de materiais como o plástico. Segundo dados da World Wild Fund for Nature (WWF), apenas 1% do plástico é reciclado no Brasil, mas somos o 4° produtor desse material no mundo. Além disso, estima-se que o Brasil produz uma das maiores médias de lixo plástico do mundo: cada brasileiro produz 1 kg por semana.

Pensando nisso, a estudante Gabriela Barros, 21, reduziu seu consumo e mudou velhos hábitos. Hoje, ela evita ao máximo consumir materiais plásticos, faz o próprio desodorante com óleo de coco e bicarbonato de sódio, e substituiu os absorventes descartáveis por coletores menstruais. Mas nem sempre é fácil mudar o comportamento, principalmente dentro de casa. “Minha casa não adota esse comportamento, embora eu tenha batido muito nessa tecla. Mas eles são muito acomodados, não é um assunto que mexe com eles. Mas sempre que eu vou ao mercado com a minha mãe eu pergunto ‘mãe, você precisa mesmo comprar isso? Presta atenção, olha o tanto de plástico que está em volta deste produto, você não precisa fazer isso’”, conta.

Para Gabriella Guimarães, a resistência para diminuir a produção de lixo está ligada a questões humanas também. “O ser humano tem uma resistência com qualquer mudança de hábito. Sempre é mais fácil continuar fazendo do jeito que a gente já está acostumado”, explica. Mas além disso, há também questões comerciais que dificultam que empresas mudem os padrões de consumo. “O próprio setor da produção industrial do plástico, que é um setor muito forte e estabelecido na indústria, com certeza vai ter uma resistência muito maior por parte deles e de todas as relações que já estão construídas no mercado”, explica a idealizadora da Inspira Verde.

Evitar o uso de materiais descartáveis é um dos primeiros passos para reduzir a produção de lixo

Apesar da resistência, empresas como a Inspira Verde buscam mudar esse cenário. Além de produtos sustentáveis, são oferecidas oficinas e cursos, como o de compostagem, que consiste numa técnica que pode ser feita em casa, transformando resíduos orgânicos em adubo. “Brasília já pode ser considerada uma das cidades destaques no Brasil em termos de iniciativas de compostagem, tanto em quantidade de pátios de compostagem funcionando, quanto empresas que fazem coleta. Com a compostagem você já reduz em 50% o resíduo gerado em casa”, conta Gabriella.

Para o movimento Lixo Zero, o importante mesmo é reduzir os resíduos, e há várias maneiras de se fazer isso: consumindo menos, realizando a compostagem, destinando de maneira correta seu lixo, evitando o uso de descartáveis, mas principalmente, repensando.

Por Joana Prates.
Compartilhar

Por: Paulo Melo

0 comentários:

Postar um comentário

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Síndicos Profissionais