Moradores de 54 condomínios de Sobradinho fazem manifestaram contra empresa UPSA

Na manhã deste sábado (15/06) foi movimentada nos setores Grande Colorado, Contagem e Boa Vista, em Sobradinho, onde moradores de 54 condomínios se reuniram em três pontos para manifestarem contra a empresa Urbanizadora Paranoazinho (UPSA)


¨Nosso principal objetivo é mostrar a todos os moradores o absurdo da proposta da empresa, que tem a obrigação de realizar as obras de infraestrutura dos bairros, mas, simplesmente, quer transferir suas obrigações para os moradores, vendendo novamente os lotes que já pagamos. Com essa medida, pretendem arrecadar mais de R$ 300 milhões. Nós, moradores, não só pagamos, como realizamos ao longo desses mais de 25 anos tudo que temos na região¨, explicou o presidente da Associação de Moradores (AMGC), Carlos Cardoso, que também é síndico do Condomínio Jardim Europa II, lembrando que a empresa empreendedora ainda está elaborando os projetos de regularização sem a participação dos moradores para regularizar os residenciais como loteamento aberto. 

¨Querem acabar com nossa segurança. Querem tirar nossos muros e portarias. A empresa quer tomar nossas áreas verdes, onde com nossos recursos construímos parques, praças, área de lazer¨.
Famílias fizeram questão de participar do movimento

A manifestação deste sábado aconteceu em três pontos distintos. No Grande Colorado, moradores, síndicos, lideranças, comerciantes, famílias, jovens, crianças e idosos se reuniram para protestar em frente a Panificadora Pão Nosso, na Av. São Francisco, vestidos de camisas azuis e munidos de faixas e carro de som.

Carlos Cardoso, presidente da AMGC

No bairro Boa Vista e Contagem 3, o encontro das famílias foi na DF.425, em frente ao Jardim América, onde logo cedo os moradores foram chegando, também vestidos de azul e munidos de faixas para engrossar o coro de dizer ¨NÃO, não aceitamos ser explorados¨.


No Contagem 1 e 2, moradores se manifestaram na Av. Parque Canela de Ema, em frente a farmácia, onde um carro de som explicava que não deveriam aceitar a proposta do empreendedor. Panfletos eram distribuídos, reforçando a argumentação. ¨Temos que demonstrar nosso descontentamento contra a UP por suas ações danosas aos nossos interesses. Só nossa união nos tornará vencedores desta luta que já dura anos¨, disse o presidente da Associação de Moradores do Parque Canela de Ema, Liomar Gomes, reforçando que ¨os moradores não são invasores. Todos compraram e pagaram por seus lotes, em muitos deles, há mais de 30 anos. Agora, querem regularizar como loteamento aberto, sem muros e guaritas, acabando com nossa segurança e a privacidade dos moradores, que lutaram muito para construir tudo o que tem. Por isso, não aceitaremos imposição dessa empresa, nem do governo, em prejuízo de nossas moradias e nossa qualidade de vida. Por isso, pedimos, não fechem contrato com essa Urbanizadora¨.


Já no período da tarde, síndicos e lideranças dos três setores foram unanimes em dizer que o objetivo foi alcançado. ¨Muita gente veio as ruas. Não vamos parar por aqui. Vamos visitar cada um que ainda tiver dúvida, vamos continuar nossas assembleias internas explicando aos nossos amigos e vizinhos os absurdos que querem fazer¨.

Uma carta aberta que será enviada ao governador do DF colheu assinaturas durante todo o dia de manifestação e continuará na próxima semana, nas portarias dos 54 condomínios. Faixas diversas, espalhadas nas principais entradas, mostravam o descontentamento dos moradores: ¨Moradores do Grande Colorado contra a exploração da UPSA¨, ¨Não há acordo com a exploração do cidadão de boa fé¨, ¨Moradores unidos. Fora UPSA. Compramos nosso lote. Tá pago e tchau¨, ¨A mediação foi uma farsa. Não vamos pagar de novo¨, ¨Não a regularização de loteamento aberto. Queremos condomínios fechados¨.







O presidente da Associação de Moradores dos Condomínios (AMGC), Carlos Cardoso, disse que quaisquer dúvidas podem ser esclarecidas com nas administrações dos residenciais com os síndicos ou diretamente com a AMGC no email: novaamgc@gmail.com
Compartilhar

Por: Paulo Melo

0 comentários:

Postar um comentário

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Síndicos Profissionais