8 dicas para manter seu condomínio seguro contra o coronavírus

Morar em apartamento e cumprir a quarentena para se proteger do contágio do coronavírus requer alguns cuidados especiais para tornar esse período mais tranquilo e seguro



A preocupação com o contágio pelo novo coronavírus tem feito a todos nós refletir sobre as medidas de higiene diária. Por consequência, o alastramento da covid-19 e o crescente número de pessoas atingidas pela nova doença vem causado uma série de perguntas para quem mora em apartamento.

Confira algumas dúvidas e veja as orientações dos infectologistas no Plantão Coronavírus para cumprir a quarentena para se proteger do contágio:

1. Ficar com as janelas abertas pode trazer o vírus para dentro do apartamento?
Foto: Fabrício Porto/ND

A resposta é simples: não! A médica infectologista Regina Valim, explica que o vírus não é transmitido pelo vento, mas sim de pessoa para pessoa por contato direto com gotículas de saliva por tosse ou expiro.

Regina explica ainda que ele pode permanecer sobre uma superfície e quando a pessoa passar a mão neste local e depois em mucosas, como olhos, boca e nariz, pode fazer a autoinoculação do vírus. “O vírus não está no ar e ele não pode ser levado pelo vento”, completa a infectologista.

O infectologista Gustavo Pinto completa, lembrando que é importante sim deixar a casa ventilando e que essa circulação de ar pelos ambientes da casa ou apartamento é o ideal a se fazer neste momento.

2. A sacada do apartamento é um lugar seguro para passar um tempo durante a quarentena?
Foto: Joyce Reinert/ Arquivo/ND

Ficar em casa, cumprindo a quarentena e seguindo as orientações das autoridades de saúde é fundamental. Mas é claro que é possível – e até necessário – ficar um tempo ao ar livre.

A infectologista Regina Valim lembra que a recomendação que está sendo feita para as pessoas ficarem casa segue a mesma e destaca que as pessoas que tem sacada, varanda, pátio ou jardim, podem sim aproveitar para pegar um sol ou fazer atividades físicas, por exemplo. “O importante neste momento de isolamento é que as pessoas fiquem no ambiente doméstico”, salienta.

3. Meu pet e eu corremos risco com o passeio fora do apartamento?
Cães e gatos são considerados seres sencientes em São José – Foto: Flávio Tin/ND

Apesar de não transmitirem e nem haver registro de que fiquem doentes, pets podem se tornar o veículo para levar o vírus, mesmo sem querer.

O infectologista Antonio Mazzei explica que os pelos dos animais podem carregar sujidade e gotículas contendo vírus.

E por isso sugere deixar os animais do portão para dentro, e não na rua, e higienizar o piso e superfícies do apartamento.
4. Interfones e corrimãos da escada podem estar contaminados?

É impossível saber, por isso a orientação é considerar toda superfície potencialmente contaminada. Nem mesmo o tempo de vida do vírus no ambiente segue um padrão. O infectologista Luiz Gustavo Escada explica que isso varia muito de acordo com a superfície, pois segundo ele, esse vírus, que sai por uma gotícula de saliva, geralmente vive três horas, mas o tempo pode ser maior.

“Se ele cai numa superfície que tem plástico, pode sobreviver por até 72 horas, em aço e ferro ele pode viver até sete, nove dias. Estudos estão sendo feitos no sentido de avaliar a durabilidade dele na superfície”, explica.

Por isso, é preciso redobrar os cuidados com as mãos, principalmente. O médico destaca ainda que é bom saber que álcool a 70%, água sanitária e outros produtos de limpeza inativam o vírus de 30 segundos a cinco minutos habitualmente.

5. Como deve ser o procedimento de cuidado em condomínios que possuem elevador?

Foto: Getty Images/iStockphoto/ND

O recomendado, segundo o infectologista, Luiz Gustavo Escada, é manter a higienização do elevador com os produtos que podem ser usados para limpar as superfícies, evitar aglomeração dentro do elevador e se possível fazer viagens por grupos familiares. Se o andar for baixo, uma boa opção – inclusive para sua saúde – é escolher a escada.
6. Que cuidados ter com ambientes comuns, como salão de festas e piscina?

A orientação da Secretaria de Estado de Saúde de Santa Catarina é para evitar aglomerações. Por isso, espaços como salão de festas e piscina devem permanecer fechados, por enquanto.
7. Posso levar as crianças para o playground?

Foto: Daniel Queiroz/Arquivo/ND

Apesar de parecerem inofensivos, playgrounds e áreas para crianças também devem ser evitadas. “Vi muitos pais descendo com seus filhos para brincar em áreas comuns. Isso vai contra as orientações dadas”, afirma Walter João Jorge Jr, vice-presidente de condomínios do Secovi (Sindicato de Habitação da Grande Florianópolis).
8. Que cuidados devo ter com as lixeiras do condomínio?
Foto: Divulgação/ND

O infectologista Pablo Sebastian Velho explica que é preciso redobrar a higiene. Segundo ele, quando a pessoa está transportando lixo por si só já indica a necessidade de fazer uma urgente higienização das mãos depois do descarte. “Então, quando a gente vai acomodar o lixo na lixeira, mesmo que a gente precise abrir alguma trava, uma porta, abrir alguma tampa é importante que a higienização seja reforçada depois disso”, completa o médico.


Portal Cidades e Condomínios por Jornalista Paulo Melo com informações do portal ND+ 61 98225-4660 Sugestão de pauta: cidadesecondominios@gmail.com #Cidades #Condomínio #PauloMeloJornalista #CidadeseCondomínios
Compartilhar

Por: Colibri Comunicação

0 comentários:

Postar um comentário

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Síndicos Profissionais