Análise de projetos contra incêndio e pânico passa a ser online no DF



A partir desta semana, a análise e aprovação de projetos de incêndio e arquitetura realizadas pelo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) passa a ser integralmente digital


Imagem: Pedro Paulo.

A mudança vinha sendo implementada, com parte da documentação sendo enviada digitalmente. A antecipação do processo final ocorreu a fim de evitar aglomerações nos setores que recebiam os documentos impressos por conta do atual cenário pandêmico.


“A implementação do processo vinha sendo feito de forma gradativa, há cerca de dois anos. Antes disso, todo o processo era feito com a entrega da documentação de forma impressa, inclusive os projetos”, explicou o chefe da Seção de Análise de Projetos do CBMDF, o tenente-coronel Luiz Santana.

Os projetos contra incêndio e pânico prevê a instalação de hidrantes, chuveiros automáticos, detecção de Incêndio, para–raios, sistema de extintores e, ainda, sinalização, iluminação e saída de emergência.

Além de facilitar o processo interno da corporação, o novo modelo gera economia para o usuário, que não terá que se deslocar até a seção de projetos, localizada na Unidade do Cruzeiro, e nem fazer impressões, pois no caso de reprovação era necessário fazer uma nova impressão de toda a documentação com os ajustes.

“Com a aprovação do projeto, o solicitante receberá um QR Code que somente poderá ser lido exclusivamente pelo aplicativo desenvolvido pela corporação. Desta forma, além da segurança de dados, todos os documentos poderão ser acessados a qualquer tempo, sem o perigo de serem perdidos e sem correr risco de ter que ser iniciado novamente”, explicou Santana.

O novo formato facilita também a vistoria para emissão do Habite-se e Licença de Funcionamento, documento necessário para funcionamento de qualquer atividade, seja com público ou não. O bombeiro responsável pela fiscalização não precisará mais levar até a edificação os projetos impressos, mas apenas um tablete da corporação ou mesmo pelo celular, como afirma o tenente-coronel. “Após a aprovação da vistoria, o próximo passo é a liberação do Habite-se, essencial para que o local seja habitado, e na sequência a liberação do funcionamento. Todos esses pontos terão mais celeridade, pois toda a documentação poderá ser acessada online”.


Para facilitar a uniformização dos serviços, o CBMDF disponibilizou um tutorial com o formato para o envio da documentação, que poderá ser conferido neste link.
Compartilhar

Por: Colibri Comunicação

0 comentários:

Postar um comentário

ABRASSP - Associação Brasileira de Síndicos e Síndicos Profissionais